segunda-feira, 29 de agosto de 2016

RPPN BURACO DAS ARARAS: PONTO OBRIGATÓRIO PARA QUEM VEM OBSERVAR AVES EM MATO GROSSO DO SUL

Do chão você pode observar e registrar diversas aves em empoleiradas em árvores, fios, postes, troncos, pousadas no chão, grama, capins e até mesmo em pleno voo.

Quando olhamos uma ave do chão, entre os olhos e a ave, dependendo onde ela se encontra pousada ou voando, é possível perfazer diversos ângulos que nos possibilitam observar suas características com menor ou maior detalhe, entretanto, quase sempre alguns ficaram invisíveis, como por  exemplo uma coloração da plumagem mais escondida podem passar despercebidas. 

Vejam a situação ao observar uma Arara-Canindé (Ara ararauna) em pleno voo. Se ela passar voando bem encima do observador será possível visualizar uma linda forma em tom de amarelo ouro. Porém, seu dorso não será visualizado neste ângulo. Em outros ângulos é possível notar mais detalhes da coloração da plumagem do dorso, onde se fundem os tons de amarelo, azul e verde que juntos tecem um lindo mosaico.


 

 

Bem, todo este preambulo é para dizer que, muitas vezes, no dorso das aves se formam mosaicos de cores maravilhosos, apresentando formas e degrades encantadores, os quais o observador só visualizará por completo se estiver em um local adequado que permita um ângulo de observação que possibilite sua visualização.

Este é o caso do Buraco das Araras, localizado no município de Jardim, uma pequena e próspera cidade no interior do Estado de Mato Grosso do Sul. O Buraco das Araras, que hoje em dia é uma RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural, é uma dolina considerada a maior da América Latina com um diâmetro de abertura de 500 metros e 127 metros de profundidade.

Em seu interior existe uma fauna e flora peculiares do local, que é habitado por répteis, bem como alguns mamíferos e roedores. No fundo do buraco existem um lago e dentre seus moradores estão o Jacaré de Papo Amarelo (Caiman latirostris) e nas árvores, algumas vezes, é possível ser surpreendido com o avistamento de animais como esta fêmea de Bugio (Alouatta caraya), na imagem abaixo:




Em seu interior e ao redor é possível observar diversas espécies de aves, como Udu (Momotus momota), Curicaca (Theristicus caudatus), Murucututu (Pulsatrix perspicillata), Sabiás (Turdus sp.), Jacutinga de Garganta Azul (Aburria cumanensis) e as Araras Vermelhas (Ara chloropterus), que em maior numero do que as outras espécies habitam o local onde encontram com facilidade comida, bem como, locais nas frestas dos paredões para fazerem seus ninhos.



 




São mais de 50 casais de Araras Vermelhas fazendo revoadas e uma algazarra peculiar das araras quando em voo. Hoje em dia no local funciona um passeio turístico, totalmente ecológico buscando mantê-las no local, já que em outras épocas a devastação e as ações insanas de algumas pessoas que lá visitavam, as espantaram. O retorno das araras ao buraco só foi possível quando o local foi adquirido por uma pessoa sensata que, por ter uma ligação com o Pantanal, local aonde o homem e o meio ambiente são sistêmicos, teve a sensibilidade de reflorestar e preservar o local.

 

O local permite observar as araras num ângulo em que o observador fica acima delas em mirantes seguros e apropriados, podendo visualizar seu dorso e o mosaico que é formado pelas cores, vermelha, verde e tons de azul. É simplesmente fantástico e emocionante vê-las sobrevivendo na natureza e podendo encher com beleza e plasticidade os olhos das pessoas que lá visitam. Quem vier observar aves em Mato Grosso do Sul, não deixe de ir a Jardim e visitar a RPPN Buraco das Araras.






Nenhum comentário:

Postar um comentário